Doria diz que apoio a Temer serve para evitar crise

Em entrevista a BBC Brasil, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), um dos possíveis candidatos a presidência disse que apoia o presidente Michel Temer (PMDB). Argumenta o prefeito paulistano que “entre o ruim e o péssimo” prefere ficar com o segundo para evitar a crise.

Quando o assunto é Eleições 2018 ele desconversa, afirma que somente irá pensar em ser candidato em janeiro do ano que vem. “Eu fui eleito para ser prefeito por quatro anos. Não é hora de se discutir uma eleição presidencial. É hora de ajudar a resolver a crise brasileira”, disse na entrevista concedida em seu gabinete na noite de quarta antes de embarcar para Porto Rico com a família.

Crítico do PT  salienta que somente pessoas desinformadas ou sem orientação votariam ainda no partido do ex-presidente Lula, a quem considera “inimigo do Brasil”. Entretanto acredita que existam pessoas que não votariam no ex-presidente, “que não têm acesso à informação, não têm acesso aos jornais, não assistem aos telejornais e não são influenciáveis por notícias a respeito do que fez o PT, do que fez o ex-presidente Lula”.

Em se tratando de seu partido deixa sem muitas explicações a permanência desse no governo Temer, considera isso “a proteção ao Brasil, à governabilidade, o apoio às reformas no Congresso Nacional”. Age da mesma forma quando se trata de Aécio Neves (PSDB/MG) que também tem indiciamentos. Não se manifesta com relação a expulsão do senador que está afastado. “Essa é uma decisão que cabe ao diretório nacional do PSDB. Eu entendo que o diretório deve se posicionar a esse respeito, como também entendo que o senador deve ter direito à plena defesa”, salienta.

Com relação a Jair Bolsonaro (PSC/RJ) que está disparando nas pesquisas já divulgadas ele minimiza considera que possa ser um fenômeno de largada. “Eu já vi outros candidatos saírem à frente em campanhas e nem sequer irem para o segundo turno”.

 

Comentários

comentários