Joesley Batista afirma a revista: “Temer é o chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil”

Em entrevista a revista Época, Joesley Batista, dono da JBS e delator na Lava Jato relata detalhes do esquema de corrupção ocorrido no país.
Deixa claro que era mantido pagamento de propina para manter o silêncio de Eduardo Cunha enquanto estivesse preso, por ordem de Michel Temer. Também salienta que havia um esquema generalizado de corrupção para impedir CPIs, manipular votações entre outros.

De acordo com Joesley, o esquema foi montado ainda no governo Lula, tendo esse “institucionalizado” a corrupção no país, mas teve episódios como a participação de Aécio Neves em leilões de partidos. 

Deixa também explícito que a cobrança era devido “pelo simples fato do cargo que ele está ocupando já o habilita a você ficar devendo favores a ele”, se referindo a Temer. 

Comentários

comentários