Vergonha

Não teria outra palavra.

Passei hoje estive tentando escrever sobre a votação que aconteceu ontem na Câmara dos Deputados, mas não consegui. Faltavam palavras para descrever a votação que propunha a investigação do presidente da República por crime de corrupção. Tentei em vão descrever em uma frase para abrir essa postagem, mas só me veio a cabeça uma palavra: vergonha.

Estou com vergonha por haverem 263 parlamentares que compactuam fervorosamente com o jeitinho. Tais deputados se venderam a emendas parlamentares, aos cargos de segundo escalão, as benesses do poder. Prova disso é a matéria divulgada pela agência Lupa que mostra um valor absurdo de R$ 2,34 bilhões em emendas distribuídas para os políticos realizarem obras em suas bases eleitorais. Nem mesmo Dilma Rousseff as portas de seu processo de impeachment teve tamanho despautério.

Pior ainda foram as manifestações acaloradas dos deputados favoráveis a Temer colocando o mandatário como senhor da honestidade. Ora, algo completamente sem noção diante da gravidade dos fatos. Poderiam salientar que o voto a favor do governo mais impopular da história seria para manter uma potencial “estabilidade política”, visto que a população está calada.

Mesmo com a opinião pública se queixando dia após dia do governo desastroso de Michel Temer, ainda assim os deputados tiveram a coragem de colocar sua cara para bater em pleno final de tarde. Poderiam se esconder diante dos holofotes, ficar em casa, mas preferiram dizer em plenos pulmões que a corrupção tem vez.

Somos de fato uma república das banânias. Onde um deputado tatua nome de corrupto no braço para mostrar lealdade, outro se atira em prol de cargos e outro deixa para trás seu caráter em nome de migalhas de um governo em frangalhos.

Somente vergonha. Nada mais.

Comentários

comentários