Guilherme Pedó e Fernando Ferreira, acadêmicos responsáveis pelo projeto (Divulgação)

Um passeio pela história das constituições é promovido por estudantes de Direito

julho 17, 2017

por — Postado em Brasil, Caxias

Last updated on julho 20th, 2017 at 05:55 pm

Em nosso país ocorreram diversas constituições desde sua independência em 1822. Algumas outorgadas, outras nem tanto, tudo isso é permeado por conflitos sociais e situações econômicas que vão desde o Brasil imperial até os tempos da Constituição de 1988.

Pensando nesse contexto que originou cada uma dessas constituições dois acadêmicos de Direito de Caxias do Sul pensaram em realizar um apanhado histórico de todas as cartas magnas de nosso jovem país. Tem por ideia entrevistar constituintes, pessoas envolvidas, criadores, historiadores e políticos com o intuito de encontrar respostas para cada uma das constituições. Objetivo de tudo isso é criar um livro que será publicado com o teor de toda pesquisa.

Criadores da iniciativa os acadêmicos Fernando Ferreira e Guilherme Pedó se interessam pelo tema há muito tempo. Segundo eles consideram que o Direito Constitucional transparece bem a realidade de cada período histórico, podendo trazer respostas para nossos momentos presentes. “O intuito é sair das informações superficiais, e dar conteúdo embasado à pesquisa. Seja nas conversas com figuras, seja nos documentos primários e literaturas renomadas” – diz Ferreira.

A ideia principal é focar no contexto histórico, sempre levando em conta o lado acadêmico do projeto. “Penso ainda, com grande ambição, que possa ser uma via interessante para que se renove na academia o interesse pelas perspectivas históricas do país” – complementa Pedó.

Ainda em fase embrionária o projeto precisa de parceiros, por isso os dois acadêmicos buscam agora pessoas interessadas em resgatar a história constitucional. Pretendem neste final de ano realizar uma visita a família real brasileira, e questionar diretamente para os herdeiros do trono brasileiro como foi a construção do período imperial em nosso país.

Comentários

comentários